A gestação na adolescência é uma realidade que pode trazer diversas consequências para toda a vida. Compreendendo a delicadeza da situação, a Maternidade Mater Dei, que desempenha um papel importante no cuidado dessas pacientes e de suas famílias, destaca, na Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, a importância de se falar sobre o assunto.

“É algo que devemos olhar com muita seriedade. A gravidez na adolescência traz diversos riscos a serem analisados, como de saúde para a mãe e o bebê, questões sociais, de educação, familiares, econômicas, entre outras”, diz a diretora geral da Mater Dei, Ir. Iracema Vujanski.

No último ano, a Mater Dei, que é a maternidade que mais realiza partos pelo SUS no Paraná, atendeu 131 mães adolescentes, menores de 18 anos, todas moradoras de Curitiba. Já na cidade o total foi de 1403 nascimentos com mães adolescentes, segundo dados do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC).

De acordo com Karina Coelho, assistente social da Mater Dei, o índice de partos precoces ou indesejados, poderia ser reduzido com mais educação sobre o assunto. “Aqui na maternidade, percebemos que as adolescentes relatam falta de orientação e entendimento do cuidado com o corpo e a saúde da mulher”, afirma a profissional.

Atendimento das mães adolescentes na Mater Dei

Na Mater Dei as mães adolescentes possuem um cuidado especializado pela equipe de assistência. Trata-se do Projeto Quero Colo. A maternidade disponibiliza um quarto específico para as mães adolescentes, com atendimento de forma acolhedora. “Conversamos em uma linguagem de fácil entendimento, onde passamos todas as orientações sobre os cuidados necessários da mãe e do bebê, e para que a mãe adolescente possa ver a importância de um planejamento familiar, sempre respeitando a autonomia e particularidade da adolescente”, comenta a assistente social.

Deixe o seu comentário!